AnálisesNotícias

“Análises” Sniper Ghost Warrior: Contracts #SGWContracts

Com uma mudança de rumos na franquia SGW Contracts diverte tendo muitos problemas.

Iremos dividir essa querida análise em algumas partes para que flua de maneira mais fácil a leitura.

O Hitman focado em snipers

Em modo geral a uma evidente inspiração nos jogos mais recentes de Hitman, A divisão de missões funciona no estilo de contratos, onde você entra em uma ambiente específico dentro de uma Sibéria futurista com uma lista de vários objetivos que variam de resgatar prisioneiros até matar uma pessoa específica, a cada objetivo realizado e transferido uma quantia de dinheiro, que pode ser utilizado para o aprimoramento de armas e habilidades do seu caçador, para finalizar a região e necessário completar todos os pedidos, o principal problema dessa escolha e a forma que e executado sendo ao mesmo tempo diferente e igual a fonte em que bebe, quando chegamos no fim do contrato a divisão vira monótona e cansativa diferente do incentivo inicial.

Sniper

História sem sal

A melhor definição de como a história funciona seria desorganizada, fútil e sem nenhuma coesão, apesar da estética do jogo ser um ponto forte, as cut-scenes não combinam com a proposta do seu roteiro que após um período de jogatina emite um desespero em ser dinâmica, tornando repetitivo ver todas aquelas apresentações de ambiente, qual o propósito e incluir você nos objetivos do contrato, depois de todo esse processo a história morre não existe uma fluidez ou até mesmo um engajamento para o jogador que nem se quer pensa em  tentar descobrir os problemas do mundo onde está inserido, transformando em mais uma estória clichê do gênero de espiões com zero profundidade que reflete nós seus “vilões“.

Sniper

A Salvação

De longe, o fator que mais se destaca e a gameplay, o jogo sempre oferece derivadas escolhas em todos os contratos, agir como um franco-atirador escolhendo a melhor posição, marcando e executando um por um, causa uma exaltação que presenteia o jogador com as consagradas “câmeras de bala” onde a câmera foca na trajetória da bala ao inimigo, uma forma comum mas bem executada, SGW utiliza encarniçadamente, causando uma explosão na parte do corpo direcionada e uma satisfação em ver seu inimigo derrubado infelizmente seria melhor caso os gráficos fossem levemente superior ao entregue, outra maneira de se jogar e no estilo fleumática te oferecendo armas de porte mais leve e execuções silenciosas deixando um pouco mais arrastada sua experiência como assassino, caso nenhuma dessas duas propostas de agrada você pode muito bem fazer a festa estilo Bruce Willis e descargar pentes encima dos alvos, só tenha cuidado com os seus recursos, as três opções são prazerosas e funcionam de forma bastante hábil fazendo ser agradável e desafiador mesmo tendo uma trilha sonora e IA péssimas.

Final

Há muitos problemas em torno do jogo que atrapalham bastante porem em outras partes executa de forma diferente e ate mesmo rica, crescendo a expectativa de uma sequência, analisando o geral, é um bom passa tempo com evidentes distúrbios na jornada como um assassino.

Nota: 7.2

Etiquetas
Mostrar mais

Uilton Cezar

Gamertag: OysheFt Nome: Uilton Amo leitura e jogos, apaixonado por Camus e Devil May Cry.
Fechar
Fechar